Governança, Risco e Compliance (GRC): como unir os processos?

Conforme atingem um nível de maturidade em determinado ramo de atuação, gestores acabam se deparando com o dilema: como implementar e gerenciar políticas para alcançar o sucesso profissional e destacar a empresa diante de tantas exigências?

Isso acontece, já que os principais segmentos do mercado — como a construção civil e a engenharia, por exemplo — são ambientes dinâmicos e sujeitos ao cumprimento de vários requisitos legais. Nesse sentido, apresentamos aqui a chave para esse problema: união entre os processos de Governança, Risco e Compliance (GRC).

Este artigo foi elaborado com o intuito de tirar as principais dúvidas sobre o tema, para que o foco da sua gestão seja alcançar metas e resultados positivos. Acompanhe!

O que é GRC?

GRC é uma sigla para três processos importantes em uma atividade: Governança, Risco e Compliance. Esses elementos são responsáveis por definir como os gestores trabalham as políticas internas da empresa e quais são as estratégias para expandir a atuação econômica do negócio.

Veja como essa estrutura funciona:

  • Governança: é a atribuição de supervisão e as métricas para gerenciar a empresa;
  • Riscos (ou gestão de riscos): auxilia a organização a estabelecer quais são os riscos do negócio e como mitigá-los;
  • Compliance: prática de padronização para os controles internos da empresa, como o foco em atender políticas internas e exigências legais — auditorias externas ou ISSO 9001, por exemplo.

Como integrar esses processos?

Mesmo com a necessidade de um tratamento cuidadoso, muitas empresas acabam desenvolvendo estratégias para lidar com cada elemento do GRC de forma individual, o que se mostra ineficaz e pode gerar mais problemas do que resultados.

Ao adotar uma abordagem de união entre Governança, Risco e Compliance em um único sistema de gerenciamento, é possível evitar gastos com tempo e dinheiro, fazendo que a empresa cresça de forma sustentável.

O ideal é buscar uma ferramenta para otimizar a gestão do negócio e identificar seus principais problemas, de forma que os administradores possam trabalhar com base nessas informações para adotar decisões mais precisas em relação ao planejamento futuro da empresa.

Como a tecnologia pode ser uma aliada?

Conforme dados das maiores empresas de auditoria do mundo, Deloitte e Ernst & Young, a tecnologia é a principal responsável por facilitar a união eficiente entre processos de GRC, uma vez que é capaz de integrar a atividade operacional, informações financeiras e exigências legais.

Ressaltamos que a ferramenta ideal deve atuar em uma única plataforma, assegurando resultados práticos e consistentes, em que o gestor tenha acesso a dados reais para detectar, prevenir e impulsionar tudo que está certo ou errado na empresa.

Quais são as vantagens?

Essa associação, acima de tudo, tem o objetivo de otimizar o trabalho dos gestores, evitando problemas para atender às normas depois que o serviço já foi executado. Uma ferramenta técnica abre espaço para definir como os controles são realizados e programa tudo para caminhar na direção certa — onde o foco é a união entre Governança, Risco e Compliance.

E então? Quer inovar as metas e os resultados do seu negócio? Então curta a nossa página no Facebook e fique por dentro de outros conteúdos como este!

Teste grátis a ferramenta para gestão da qualidade Qualyteam

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.