Porque o Youtube está bloqueado na sua empresa

Em uma pesquisa da Robert Half em 13 países, as empresas brasileiras estão entre as que mais bloqueiam redes sociais no expediente. Os mais ociosos não gostam, ou como dizem, haters gonna hate, mas sempre encontram uma saída. Não podendo acessar o site preferido, vão para o chat do email. Quando tudo estiver bloqueado, se debruçam no telefone ou nos catálogos da AVON. Tratando de burlar regras, são incrivelmente produtivos.

Um cálculo feito em 2010 na Grã-Bretanha sugeria gastos na casa dos 14 bilhões de euros com funcionários usando redes sociais para fins pessoais durante o expediente. O número só tem crescido desde então e a falta de controle tem gerado polêmicas. Veja o que Vicente Falconi, a maior autoridade em gestão da qualidade no Brasil, tem a dizer sobre isso no vídeo do Youtube abaixo:

Veja também o que diz Jorge Gerdau: https://www.youtube.com/v/f8IKFRX9Nm8

E Pavan Sukhdev: https://www.youtube.com/v/SgKNhQeXHz4

 

Sem acesso ao Youtube?

Com o passar dos anos, polêmicas deram lugar aos fatos e constatou-se o óbvio: sem acesso, as empresas perdem mais do que ganham.

Com uma boa gestão, a internet passou a ser aliada. A maior e mais barata fonte de conhecimento e comunicação do mundo. Nossa empresa se alimenta da internet diariamente. Youtube, Stack Overflow, LinkedIn, blogs… Também transferimos conhecimento, estimulando discussões, fazendo pesquisas e apresentando webinars gratuitos. Todas as ações servem para atingirmos metas estabelecidas, disseminadas e cada um sabe o papel que tem no trabalho.

Agora são as empresas com problemas de gestão que tentam correr atrás do prejuízo, mas nunca irão chegar a uma solução enquanto o pensamento estiver direcionado para liberar ou não a internet. Um pensamento mais adequado seria: porque nossos colaboradores estão ociosos? Eles sabem qual meta devem atingir até o fim do mês?

Teste grátis a ferramenta para gestão da qualidade Qualyteam

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.