Padrões Internacionais para um mundo sustentável

“As organizações vivem um processo evolutivo em que, para sobreviver no mercado, passaram a fazer não só a gestão da qualidade dos processos, mas também trabalhar a qualidade da gestão. Dessa forma, as empresas buscam a excelência, por meio de um processo contínuo e permanente, que gera resultados concretos”[1].
O post desta semana é a tradução adaptada de um artigo publicado pela ISO (International Organization for Standardization) e traz para você a síntese do modelo de gestão baseado na qualidade.
Boa leitura!
 

O Sistema de Padronização ISO

ISO Normas padrões para alcançar benefícios nos negócios, governo e sociedade – e para pessoas como eu e você.

ISO Normas padrões fornecem ferramentas práticas para enfrentar desafios em todas as três dimensões da sustentabilidade – econômica ambiental e social.

Padrões da ISO clarificam a experiência e boas práticas internacionais, contribuem para que as pessoas entendam os problemas.

Os padrões ISO evitam que as empresas tenham que re-inventar a roda.

ISO (Organização Internacional de Normas Padrões) é uma rede global que identifica quais padrões internacionais são requeridos pelas empresas, governos e sociedade, desenvolvidos em parceria com setores que irão colocá-los em uso, adotando normas transparentes que podem ser implementadas em todo o mundo.
As normas possuem credibilidade internacional da mais variada base de profissionais. Embora as normas ISO não sejam obrigatórias, são amplamente respeitadas e internacionalmente implementadas pelo setor público e privado.
ISO – é uma rede não governamental de organizações difundidas em cerca de 160 países, incluindo países desenvolvidos, em desenvolvimento e em economias de transição.
Cada país possui representantes locais que representam a ISO no desenvolvimento de novas normas, propondo novos padrões, participando no desenvolvimento e fornecendo suporte em colaboração com a Secretaria Central da ISO, onde 3280 grupos técnicos desenvolvem as normas. Ao todo, existem cerca de 50 000 especialistas que contribuem diretamente para o trabalho da organização a cada ano, além de um número estimado de 300 000 profissionais que dão continuidade ao trabalho reproduzindo o modelo do comitê nacional.
ISO tem atualmente mais de 18 600 normas que fornecem soluções práticas e alcançam benefícios para quase todos os setores de negócios, indústrias e tecnologia, incluindo agricultura, construção, mecânica, engenharia, fabricação, distribuição, transporte, saúde, informação e tecnologias de comunicação, alimentação, água, ambiente, energia, gestão da qualidade, qualidade de avaliação da conformidade e serviços. Elas formam uma completa oferta para as três dimensões do desenvolvimento sustentável – econômico, ambiental e social.

Os padrões ISO nivelam os campos de negócio, fazendo com que os requisitos de produtos no comércio mundial sejam transparentes, assim como o mecanismo de avaliação da conformidade, que verifica se os produtos estão à altura dos padrões estabelecidos. Como resultado, fornecedores de economias em desenvolvimento, desenvolvido e em transação, podem competir igualmente no mercado.

Parceiros da ISO

A ISO colabora com seus parceiros na padronização internacional, o IEC (Comissão Eletrotécnica Internacional) e a ITU (União Internacional da Telecomunicação), particularmente nos campos da informação e tecnologia da comunicação. Eles estabeleceram o WSC (Cooperação de Padrões Mundial) com foco para todas suas atividades estratégicas.
A ISO tem uma parceria estratégica com a OMC (Organização Mundial do Comércio) com o objetivo de promover um sistema de comércio global livre e justo.
Signatários do Acordo da OMC sobre Barreiras Técnicas ao Comércio (TBT) se comprometem a promover e usar padrões internacionais desenvolvidos pela ISO com base nos princípios de transparência, abertura, coerência, eficácia, imparcialidade e consenso da OMC TBT, abordando as preocupações dos países em desenvolvimento.
A ISO colabora com o sistema das Nações Unidas (NU) e suas agentes e comissões especializadas, particularmente com aqueles envolvidos na harmonização dos regulamentos e políticas públicas. Além disso, a ISO coopera com as organizações das Nações Unidas que prestam assistência e apoio para países em desenvolvimento. Ao todo, as comissões técnicas da ISO têm ligações formais com mais de 700 organizações regionais e internacionais.
 

ISO: O que há de novo e o que está por vir

Novos padrões ISO publicados ou em desenvolvimento nos últimos anos, expressam desafios tão variados quanto à responsabilidade social, informação e segurança social, resposta à mudança climática, eficiência energética e recursos renováveis, design e construção sustentável, contratos públicos justos e transparentes, serviços de água, nanotecnologias, sistema de transporte inteligente, gestão de segurança alimentar e gestão da saúde.
Nos próximos anos, a ISO será capaz de oferecer novos padrões, abordando uma série de problemas tais como a captura de carbono (carbon footprint) dos produtos, gestão de patrimônio, economia de energia, gestão de recursos humanos, postos de gás natural para veículos, terceirização, segurança de parques de diversão e biogás.
Os padrões ISO transferem o conhecimento, evitando o desperdício de recursos, garantindo a saúde e segurança pública, e fornecendo critérios de avaliação de importação e exportação para competir com mercados globais.
Os padrões ISO evitam que as empresas tenham que re-inventar a roda. Eles agregam os mais recentes conhecimentos técnicos e os tornam disponíveis a todos. Dessa maneira, eles propagam novos avanços em tecnologia, fazendo com que os padrões ISO uma fonte inestimável de conhecimento.
___________________________________
[1] Ricardo Correa, diretor institucional da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ).
http://www.fnq.org.br/site/292/default.aspx
 

Teste grátis a ferramenta para gestão da qualidade Qualyteam

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.